Google

Seguidores

31/12/2011

FELIZ ANO NOVO !!!!!!!


28/12/2011


16/12/2011

Maus-tratos a cachorros vão parar no Ministério Público

SÃO PAULO - Quatro casos recentes de maus-tratos a animais chocaram e mobilizaram entidades protetoras de animais. Um vídeo de um cão da raça yorkshire espancado até a morte na frente de uma criança em Goiânia, o cão arrastado pelas ruas da Paraíba com um saco plástico na cabeça, a foto do vira-lata com o focinho decepado, a cadela da raça boxer que teve a mandíbula destruída ao ser agredida pelo próprio dono e o "diário" da luta pela sobrevivência do vira-lata enterrado vivo no interior de São Paulo estão entre os assuntos mais comentados na internet.
As pessoas só têm um pedido: Justiça. Em São Paulo, no início do mês, passou a funcionar um grupo especial de combate a crimes contra animais no Ministério Público Estadual. Dois promotores foram designados para integrar o grupo, que funcionará no Fórum Criminal da Barra Funda: Vania Maria Tuglio e Carlos Henrique Prestes Camargo.

A criação, justifica o MP, "nasce em razão do elevado número de ocorrências envolvendo abusos, maus-tratos, ferimento e mutilação de animais, inclusive em ambietne urbano e doméstico, caracterizando a prática de delitos, segundo a lei 9.605/98". O grupo vai atuar de forma integrada com o promotor de Justiça, oficiando em representações criminais, inquéritos e processos criminais, de acordo com o Ministério Público. Em Curitiba, vereadores aprovaram os dois projetos de lei, de autoria da Prefeitura, que estabelecem sanções contra maus-tratos a animais.
A polícia de Formosa (GO) abriu um inquérito por causa do vídeo postado no Youtube que mostra o cachorro da raça yorkshire sendo agredido pela dona, na frente de uma criança, que aparenta ter 3 anos de idade. Ela bate no animal com um balde e o prende embaixo para sufocar. Antes, chutou e o arremessou na parede. O animal morreu, segundo a polícia. A polícia recebeu o vídeo, de maneira anônima.

À TV Globo, o delegado Carlos Firmino Dantas, do 1º DP de Formosa, disse que a mulher, que seria uma enfermeira de 22 anos, alegou que o animal dava muito trabalho. Ela prestou um depoimento informal. Segundo o delegado, houve crime contra o cachorro e contra a criança. - Queremos provar que há o constrangimento da criança. Isso é um crime previsto no Estatudo da Criança e do Adolescente. Ela poderá ser condenada, não só com cesta básica, mas chegar uma pena de três anos e meio - explica o delegado. O MP de Goiás informou que acompanha o caso e aguarda do fim do inquérito policial para tomar providências.
Pelo twitter, a vereadora Heloísa Helena (PSOL), ex-senadora, defendeu a aprovação de lei contra maus-tratos dos animais. E faz um apelo à pessoa que fez e divulgou as imagens: "quem postou o vídeo precisa urgente encaminhar denúncia (pode ser anônima) ao MP/Vara da Infância pois tem criança envolvida".

O diário do cachorro enterrado vivo
Outra história que causou comoção e também ganhou destaque nas redes sociais foi a do vira-latas Titã, enterrado vivo pelo próprio dono na cidade de Novo Horizonte, a 399 km da capital. Ele foi resgatado há uma semana por um integrante da Ong Mão Amiga e por pouco não morreu. Com infecções, anêmico, com sarna e com um olho ferido, a luta do animal pela sobrevivência e sua recuperação são noticiadas quase que como num diário. E a Ong já tem 34 pedidos de adoções, de pessoas que ligam do Brasil e do exterior. Quando fecha a clínica, a veterinária responsável pelo seu tratamento leva Titã para sua casa.
A repercussão do caso surpreendeu o representante da Ong, Marco Antonio Rodrigues. - Todos os dias, recebemos cerca de cinco, seis denúncias de bichos que passam fome, estão doentes. Mas a história do Titã teve uma repercussão que até nos assustou - conta Rodrigues.

Para o veterinário e professor do curso de Psicologia da PUC de São Paulo, Mauro Lantzman, especialista em comportamento e bem-estar animal, a grande mobilização da sociedade com casos de maus-tratos tem a ver com os trabalhos de conscientização de Ongs para reduzir o índice de abandono dos bichos de estimação. - É algo histórico. Esse movimento tem crescido por força desses movimentos que procuram conscientizar a população sobre abandono, adoções e os benefícios de se ter um animal de estimação - avalia Lantzman. - Houve um tempo em que o foco era noticiar casos de cachorros mordendo crianças e adultos - completa ele.


Lino, o vira-latas arrastado por cerca de 700m pelo asfalto em uma rua na Paraíba, com um saco plástico na cabeça, ganhou uma dona e um lar. A agressão foi flagrada por um cinegrafista amador, no mês passado. O homem disse que levaria o cão para o centro de zoonoses para ser sacrificado porque estava doente. Após duas semanas em tratamento para cuidar dos ferimentos, ele teve um final feliz.
Já o cãozinho que teve o focinho decepado continua em tratamento contra uma infecção e anemia em uma clínica na Zona Leste de São Paulo. Ainda não se sabe em qual circunstância ele foi mutilado. Como consegue comer e se recupera bem, foi excluída a possibilidade dele ser sacrificado. Já ganhou até um nome: Chiquinho.

- O homem sempre teve uma relação evidente com os animais. Mas antes era uma relação de trabalho e consumo. Muito recentemente, ele passou a ser visto como parceiro, alguém da família, que está dentro de casa. Passou a criar um vínculo mais emocional. À medida que as condições econômicas melhoraram, o número de pets nos lares aumentaram. Por esta razão, as pessoas se sentem mais chocadas quando um animal sofre maus-tratos - explica Sandro Caramaschi, professor de Faculdade de Psicologia da Unesp de Bauru.


fonte>OGlobo

13/12/2011

Cão salva gatinhos abandonados para morrer em estrada dos EUA


Um cão resgatou dois filhotinhos de gato abandonados e deixados para morrer em uma estrada dos EUA.
Os gatinhos foram colocados dentro de um saco e jogados em uma estrada movimentada da região do condado de Madison, na região rural do Estado de Iowa. O cão Reagan encontrou o saco e o levou até a sua dona. O animal ficou diante da dona até que ela abrisse o saco.

A dona de Reagan ouviu o miado de gatinhos dentro do saco. Quando verificou o que tinha dentro, encontrou dois filhotinhos cobertos de sangue.
"O instinto do cão foi tão educado que [Reagan] não matou os filhotes. Com todo aquele sangue, alguns cães poderiam responder ao cheiro. Reagan é um herói", disse Linda Blakely, do Raccoon Valley Animal Sanctuary, que abriga os gatinhos atualmente.

Os gatos estavam tão fracos quando foram encontrados que poucos acreditavam que eles pudessem sobreviver. Eles tiveram que ser alimentados a cada duas horas e hoje, quase três meses depois de terem sido encontrados, estão saudáveis e têm uma vida normal.
Os filhotes, que ganharam os nomes de Skipper e Tipper [clique na aba acima para ver os filhotinhos], estão disponíveis para adoção no Raccoon Valley Animal Sanctuary. As informações são do "WHOTV.com".

fonte> Uol

10/12/2011

Gato preto herda fortuna de R$ 24 milhões, na Itália


E quem disse que gato preto dá azar? Tommaso, um bichano preto italiano de quatro anos, deu muita sorte e acaba de herdar uma fortuna de nada menos que 10 milhões de euros (equivalente a cerca de R$ 24 milhões), de acordo com informações do site The Telegraph.
Tommaso recebeu a fortuna após a morte de sua solitária dona, a milionária Maria Assunta, aos 94 anos, há duas semanas.
A milionária resgatou o gatinho das ruas de Roma e se afeiçoou ao animal. No entanto, em razão da idade avançada, começou a temer pelo futuro do amigo.

Maria Assunta, então, escreveu um testamento em que passava toda sua fortuna - um império que inclui casas e apartamentos em Roma, Milão e Calábria - ao felino.
A mulher instruiu, ainda, seus advogados a encontrarem uma instituição de cuidado aos animais que se comprometesse a administrar o dinheiro e tomar conta de Tommaso. A exigente velhinha, no entanto, não encontrou uma organização que atendesse suas expectativas.

A responsabilidade de cuidar de Tommaso e administrar a fortuna, então, acabou ficando com a enfermeira da idosa, uma mulher identificada como Stefania.
"Prometi que cuidaria do gato quando ela não estivesse mais aqui. Ela queria ter certeza de que ele seria amado e cuidado. Porém, nunca imaginei que ela tinha tamanha fortuna", disse a desavisada Stefania. Enfermeira de sorte...
Tommaso, hoje, vive com sua nova dona e outro gato em uma casa na Itália.

fonte>virgula

06/12/2011

Cão que tem pavor de gato e rói as unhas é abandonado pelo dono por ser covarde demais

Bentley é um cão ansioso. Aos seis anos, o animal da raça border collie se esconde atrás do sofá quando é deixado sozinho. Além disso, tem pavor de gato e não sai para passear de noite, pois tem medo do escuro.
Por causa de seu nervosismo, o animal foi obrigado por veterinários a usar sapatinhos especiais que lembram luvas de boxe. A medida foi adotada como precaução para evitar que Bentley roesse suas unhas.

O cão sofre de medo de ficar sozinho desde outubro de 2009, quando seu dono morreu. Na ocasião, o bicho foi enviado a um centro de adoção na Grã-Bretanha, mas foi devolvido por seu novo dono sete meses mais tarde: o rapaz que o adotou não conseguiu lidar com a insegurança do cão.

Sandra Wilson, gerente do canil, disse em entrevista ao jornal Daily Mail desta terça-feira (6/12) que Bentley é o cão mais medroso que ela já conheceu. “Cada vez que alguém sai da sala, ele fica nervoso e com medo que a pessoa nunca mais volte. Apesar da fobia, ele adora crianças, é um ótimo bicho de estimação e merece uma segunda chance”, disse em apelo para que o animal encontre um novo lar.

fonte: Planeta Bicho
 (Fotos: Grosby Group)

29/11/2011

Protetores de Animais vão à Brasília entregar Petição Lei Lobo

A comissão encabeçada pelo ator Marcelo Médici e composta por diversas ONGs de proteção animal foi hoje à Brasília para entregar a autoridades a petição em que pedem leis mais duras nos casos de maus-tratos contra animais. Os ativistas batizaram o pedido de projeto de lei como "Lei Lobo", devido ao cão Lobo, um rottweiler arrastado esse mês em Piracicaba na picape de seu dono e que não resistiu aos ferimentos.

Hoje, o ator postou em seu Twitter uma nova notícia de um cão arrastado pelo asfalto pelo dono, dessa vez no estado da Paraíba. "Vocês não imaginam quanto me custa divulgar notícias como essa, de mais um cão sendo torturado. Mas não podemos fingir que não está acontecendo", disse, no microblog.

fonte> WEBCÃES

27/11/2011

Britânico toca piano para elefantes cegos para arrecadar fundos e cuidar dos animais


Há 16 anos, Paul Barton e sua esposa deixaram Yorkshire, na Inglaterra, onde viviam, para morar no alto de uma montanha na Tailândia. O objetivo do casal era estar mais perto de um grupo de elefantes cegos que habita Bangkok.
Este ano, além de ajudar no cuidado dos bichos, o britânico, que é pianista, decidiu ensaiar um concerto para arrecadar fundos para a construção de uma cerca na montanha, que impeça os animais de se perderem na região.
Para alcançar seu objetivo, Barton organizou a subida de um piano ao cume da montanha, onde ficam os elefantes. “Vasculhando meus livros, achei que eles gostariam de ouvir Beethoven”, disse o homem ao jornal Daily Mail desta sexta-feira (25/11).
O concerto especial do britânico na companhia dos elefantes cegos deve ser apresentado no próximo mês.

fonte: Planeta Bicho




20/11/2011

Avenida Paulista tem protesto contra maus-tratos a animais

A Avenida Paulista, em São Paulo, foi palco, na manhã deste domingo (20), de um protesto contra maus-tratos a animais. Os manifestantes levaram faixas, cartazes e seus animais para lembrar o caso do cachorro Lobo, que foi amarrado ao carro de seu dono e arrastado pelo veiculo por ruas de Piracicaba, no interior de São Paulo. O  cão morreu dia 15 em uma clínica veterinária.  O ato deste domingo, organizado por redes sociais, recolhe assinaturas para pedir punição mais rígida em caso de maus-tratos, abandono ou violência a bichos (Foto: Nelson Antoine/Foto ArenaAE)

ASSINEM A PETIÇÃO Vamos agir por quem não pode falar
http://peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2011N16665


G1

O Brasil precisa ser rígido contra os maus tratos aos animais


Lobo, o cão que foi arrastado em Piracicaba, é cremado

 Lobo

Depois de 14 dias em tratamento e dois dias após a sua morte, o rottweiler que foi arrastado em Piracicaba (SP) pelo próprio dono poderá descansar em paz. Na sexta-feira, Lobo foi liberado pela Justiça para ser cremado em Campinas. Hoje a ONG Vira Lata Vira Vida realizou uma cerimônia para homenagear o animal e as cinzas foram colocadas no jardim do abrigo.
Desde que saiu do Centro de Controle de Zoonose (CCZ) de Piracicaba para dar continuidade ao tratamento dos ferimentos, causados no dia 2 de novembro ao ser arrastado por uma picape, o cão estava em uma clínica da cidade sob a responsabilidade da ONG Vira Lata Vira Vida. No dia 15/11 o quadro de saúde do Lobo piorou e na madruga do dia 16 acabou morrendo. O corpo do rottweiler foi levado para Campinas, para realização de uma necropsia, na tentativa de identificar a causa do óbito.

Como o dono bicho era o motorista que dirigia o veículo que arrastou o rottweiler, ele está sendo acusado de maus-tratos e o seu advogado teria entrado com um pedido na Justiça para ter a posse do animal e realizar novos exames. Isso porque, até agora, não foram conclusivas algumas das análises feitas em Campinas. A solicitação da defesa fez com que o corpo retornasse ao CCZ, aguardando a decisão judicial, impossibilitando os responsáveis da ONG realizar a cremação do cão.

Na tarde de ontem, a entidade comunicou em seu site que recebeu a transferência do corpo do rottweiler, legalizada pela Procuradoria Jurídica do Município, e que o procedimento seria realizado em Campinas, naquele mesmo dia, às 20h, pela Eden Pet (www.edenpet.com.br).
Segundo Pedro Milani, um dos proprietários da empresa, que realizou a cremação do animal gratuitamente para a ONG, todos os passos do procedimento foram acompanhados de perto pelos representantes das entidades. “Os responsáveis do CCZ de Piracicaba registraram todos os detalhes, do transporte até a entrega das cinzas à presidente da ONG Vira Lata Vira Vida, que estava muito triste e abalada.” As cinzas do Lobo foram colocadas em uma urna ecológica, biodegradável, que pode ser enterrada.

Em nota publicada no portal da organização, os representantes da Vira Lata Vira Vida convidaram todos que acompanharam a história do Lobo a comparecer a homenagem realizada hoje, lembrando que, se ele estivesse vivo, “estaria se recuperando no abrigo, ao lado dos funcionários, cuidadores, veterinária e voluntários”.  Segundo a presidente da ONG, as cinzas do Lobo voltaram a Piracicaba e foram enterradas em um espaço do abrigo para que ele seja sempre lembrado. “Um animal que mobilizou todo o país a pensar sobre a violência e a necessidade de se rediscutir as leis e punições aos autores de maus-tratos.”
Imagem da urna utilizada para colocar as cinzas do Lobo - Crédito: Eden Pet

A última informação divulgada no site Vira Lata Vira Vida relata a despedida:
“Cerca de 25 pessoas acompanharam hoje a cerimônia de despedida do cão Lobo, cremado ontem à noite no Eden Pet de Campinas. As cinzas do Lobo foram enterradas e sobre elas foi plantado um jasmim, que será cultivado por todos que frequentam o abrigo.”


fonte:>  http://blogs.estadao.com.br/conversa-de-bicho

18/11/2011

TWITAÇO HOJE ÀS 20h00

Hoje dia 18, às 20h, (horário Brasilia) vai rolar o Twitaço. Vamos twittar  a hashtag #LeiLobo para que ela entre nos Trending Topics e chame a atenção de todos! Twite!
isso para mudar as Leis no Brasil sobre maus tratos contra os animais.

Avisem os amigos 

assinem a petição pubica:   http://peticaopublica.com.br/?pi=P2011N16665



17/11/2011

Please sign this petition

Please sign this petition to change the law on animal protection here in Brazil we need one million signatures  #LeiLobo



Campanha na web pede punição severa para quem maltrata animais

Uma campanha na internet pede punição mais severa para quem maltrata ou abandona animais. A mobilização começou depois da morte do cachorro Lobo, um rottweiler que foi arrastado por pelo menos 1 km em Piracicaba, no interior de São Paulo, nesta terça-feira (15). A petição pede mudanças nas leis atuais para que elas se tornem mais severas nos casos de maus-tratos, abandono e morte com ou sem dolo dos donos.

Em São Paulo, existe o Código de Proteção aos Animais, uma lei estadual de 2005 que proíbe qualquer tipo de mau-trato a animais silvestres ou domésticos. O agressor deve ser advertido, pode ser multado e até perder a guarda do bicho.

Cão poderá ser cremado
O corpo do rottweiler Lobo poderá ser cremado, com direito à transmissão da cerimônia pela internet, segundo Miriam Miranda, presidente da organização não governamental (ONG) Vira-lata Vira Vida. Outra opção é que o corpo seja enterrado em um terreno do abrigo mantido pela ONG na cidade.

Segundo Miranda, uma empresa especializada em velório de animais de estimação de São Paulo se ofereceu para realizar a cremação do corpo e enviar as cinzas de volta para a ONG. "A nossa intenção é transformar a cerimônia em um marco para que o ocorreu não seja esquecido, para que uma violência dessas contra um animal não volte a se repetir", afirmou. Caso se confirme a cremação, as cinzas do rottweiller seriam depositadas em uma urna, que, por sua vez, seria instalada em um local específico em um jardim da ONG.

O cachorro foi amarrado ao carro de seu dono e arrastado no início deste mês por cerca de 1 km pelas vias de Piracicaba. Lobo estava internado desde o acidente e teve uma de suas patas amputadas como consequência da violência sofrida. Antes de morrer, o animal foi submetido a duas cirurgias.

Por enquanto, o corpo do rottweiler está sob a tutela do Centro de Controle de Zoonoses da cidade e depende de decisão judicial para ter uma destinação, segundo a advogada da ONG Rosana Junqueira. "A defesa (do dono do cão) pode requerer algum exame", explicou.
O sepultamento dependeria, neste caso, de um pedido por parte do CCZ e o devido aval da Justiça. Segundo a advogada, o dono do animal não havia entrado, até as 16h desta quarta-feira (16), com qualquer pedido no fórum central do município para reaver o corpo do cachorro.

O corpo do rottweiler foi enviado a um laboratório de Campinas, a 91 km da capital, para a realização da necropsia, que deverá apontar a causa da morte. "O laudo deverá ficar pronto de cinco a sete dias. Daí poderemos dar um parecer mais concreto", disse.

Termo circunstanciado
O dono do animal foi identificado e multado pela Polícia Ambiental em R$ 1.500 por maus-tratos contra animais. As investigações foram encerradas na sexta-feira (11) pelo delegado do 2º Distrito Policial de Piracicaba, Wilson Sabino. Ele finalizou o termo circunstanciado, usado quando a pena máxima para o crime é de até dois anos de prisão ou multa, e o enviou para o Juizado Especial Criminal da cidade.

O mecânico Claudio César Messias, que conduzia a caminhonete, disse que foi um acidente. Em depoimento à polícia, Messias afirmou que passeava com o cão, que pulou da carroceria da picape sem que ele notasse. “Só percebi que o estava arrastando quando um motoqueiro me parou e avisou. Fui embora porque achei que ele tivesse morrido, me deu um branco, um desespero e saí”, afirmou, na ocasião.

Para assinar a Petição #LeiLobo
http://peticaopublica.com.br/?pi=P2011N16665

do G1

16/11/2011

Morre Lobo, o cão arrastado por tutor, em Piracicaba (SP)

O cachorro rottweiller Lobo, que foi arrastado preso a um carro por quarteirões no último dia 2 de novembro, morreu por "complicações no seu quadro clínico" em Piracicaba, interior de São Paulo. Foto: Divulgação
A ONG Vira Lata Vira Vida informou no início da madrugada desta quarta-feira (16) que o cachorro rottweiller Lobo morreu por “complicações no seu quadro clínico”. O animal, que foi arrastado preso a um carro por quarteirões no último dia 2 de novembro, teve uma das patas dianteiras amputada na segunda-feira (7).
Segundo o comunicado, postado na página oficial da ONG no Facebook (confira aqui), Lobo foi acompanhado por uma equipe durante 15 dias de “luta”. A entidade pretende divulgar detalhes sobre a morte do animal ainda hoje, após necropsia.

Multa ao tutor
No último dia 9, a Prefeitura de Piracicaba (160 km de São Paulo) comunicou que iria multar o tutor do animal. A informação foi confirmada pela Secretaria da Saúde ao UOL Notícias. A intenção da administração é aplicar a multa por maus-tratos. A pena máxima prevista na legislação municipal para esse tipo de crime é de R$ 1.500.
A secretaria informou que a Procuradoria Geral do Município orientou o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) a aplicar a multa após a conclusão do inquérito policial, que corre na Polícia Civil desde a semana passada.

Crime
O tutor do cão, o mecânico Cláudio César Messias, alegou à polícia que arrastou o cachorro por acidente. Ele disse que transportava o animal na caçamba do veículo. O tutor justificou-se, dizendo que fugiu do local do crime porque achou que o cão já estivesse morto.
Duas testemunhas, no entanto, contaram à polícia que Messias disse que queria matá-lo. Foram eles que gritaram para que o mecânico parasse o veículo enquanto arrastava o cão.
O presidente da SPPA (Sociedade Protetora dos Animais), Luiz Américo Chittolina, entrou com uma representação no Ministério Público na última sexta-feira, pedindo punições contra o tutor do animal.
Além da multa da prefeitura, Messias também deve ser multado pela Polícia Ambiental por maus-tratos, baseada na lei federal número 9.605/98 de crime ambiental, que prevê multa de R$ 1.500. O mecânico, no entanto, pode recorrer.
Messias foi procurado para se manifestar sobre o caso, mas não foi localizado.

Fonte: UOL
Nota da Redação: Indignação, revolta, tristeza, dor. Estes são nossos sentimentos em relação à morte de Lobo. Uma violência brutal cometida contra um cão inocente e indefeso por seu próprio tutor, aquele que deveria ser o grande cuidador foi o pior inimigo. As leis brasileiras em geral são brandas para com os criminosos, mais ainda quando os crimes são contra animais, sejam domésticos, domesticados, silvestres ou exóticos. Isto precisa mudar. A sociedade deve exigir mudanças radicais nas punições de crimes cometidos contra todos os animais. Que este caso motive as autoridades, a sociedade, os defensores de animais a darem um basta nas penas brandas aos que cometem crimes crueis contra os animais.

07/11/2011

Cão arrastado por carro em Piracicaba tem pata amputada

Cão já passou por uma cirurgia (Foto: Karla Gigo/EPTV)

O rotweiller que foi arrastado pelo carro de seu dono por pelo menos 1 km em Piracicaba, no interior de São Paulo, teve a pata amputada nesta segunda-feira (7). A cirurgia aconteceu por volta das 18h. O cão irá passar a noite internado. O estado de saúde dele é estável.

Segundo os veterinários, não há previsão de alta para o cachorro. O animal já havia passado por uma cirurgia para evitar a amputação. No entanto, segundo Armando Frasson, veterinário que acompanha o caso, o sangue não estava chegando corretamente à pata e, por isso, a cirurgia foi necessária.

A ONG Vira-Lata Vira-Vida mantém na internet uma página onde são divulgadas informações sobre o tratamento do cachorro, chamado de Lobo. Segundo Miriam Miranda, presidente da organização, o caso gerou uma repercussão muito grande e a ONG recebeu apoio de pessoas até mesmo de fora do país. "Foi um caso assombroso e nós recebemos solidariedade [de] pessoas querendo ajudar da Alemanha, Chile e Portugal", disse.

Ainda não está definido o destino do animal após a saída do hospital. Diversos pedidos de adoção já foram feitos. No entanto, por conta do processo criminal, somente a justiça deverá decidir para onde Lobo será encaminhado.

Dono
O dono de Lobo foi localizado pela Polícia Civil na tarde de quinta-feira (3). O mecânico Claudio César Messias, que conduzia a caminhonete, disse que foi um acidente. Em depoimento à polícia, Messias afirmou que passeava com o cão, que pulou da carroceria da picape sem que ele notasse. “Só percebi que o estava arrastando quando um motoqueiro me parou e avisou. Fui embora porque achei que ele tivesse morrido, me deu um branco, um desespero e saí”, afirmou.

O delegado Wilson Sabino informou que será feita perícia na caminhonete e na corda que prendia o cachorro. Em seguida, as testemunhas serão ouvidas. “Vamos ver se há divergência entre o que ele disse e o relato das testemunhas. A princípio, o que eu penso é que é preciso ter cautela com os animais domésticos. Se ele queria passear com o cão na caminhonete, deveria se cercar de cuidados maiores”, disse o delegado.

O mecânico vai responder por abuso a animais, crime previsto no artigo 32 da Lei de Defesa ao Meio Ambiente. Ele aguarda o correr das investigações em liberdade, já que não houve uma situação de flagrante. Caso seja condenado, a pena pode chegar a um ano de prisão, além de multa.

G1

03/11/2011

Em 3 de novembro de 1957, a cachorra Laika tornou-se o primeiro ser vivo a viajar para o espaço.

O primeiro objeto feito por mãos humanas a circundar nosso planeta foi o satélite artificial Sputnik 1, lançado pela União Soviética em outubro de 1957.
Ao contrário dos Estados Unidos, a União Soviética dispunha de tecnologia para lançar cargas pesadas no espaço. O Sputnik era um satélite pressurizado, com um diâmetro de 58 centímetros e quatro antenas de cerca de 2,5 metros de comprimento. Poucos dias depois, em 3 de novembro, foi lançado o Sputnik 2, desta vez com um ser vivo a bordo.

Era uma cachorra da raça Laika Siberiano, pesando menos de cinco quilos, amistosa e calma. Seus acelerados batimentos cardíacos correram o mundo. Ela havia sido colocada num compartimento pressurizado e era vigiada por uma câmera de tevê. Sua cabine permitia que se deitasse ou ficasse de pé, havia um sistema de regeneração de ar e uma bolsa coletora de dejetos, e sua comida e água eram fornecidos em forma gelatinosa.

O Sputnik 2 não estava equipado para a reentrada na atmosfera, por isso o cãozinho não poderia ser resgatado com vida. O satélite permaneceu meio ano em órbita, vindo a cair sobre o Caribe no dia 14 de abril de 1958.
As observações feitas durante a trajetória deste satélite possibilitaram o lançamento do primeiro homem ao espaço. Em 1961, o astronauta soviético Yuri Alexejevitch Gagarin, de 27 anos, tornou-se o primeiro homem a deixar a atmosfera da Terra.



fonte: internet 

31/10/2011

Cadela cega que tem “amiga” como cão-guia ganha novo lar

A cadela Lily, que ficou cega aos 18 meses de idade, quando sofreu de uma doença denominada entrópio, que ataca as pálpebras e o globo ocular, ganhou destaque internacional neste mês.

A cachorra, que conta com os cuidados da “amiga” Maddison como cão-guia, foi abandonada em um centro de adoção para animais. Seu antigo dono alegava não ter condições financeiras para cuidar dos dois animais.

Desde que a dupla inseparável apareceu nas páginas da web, mais de dois mil interessados em adotar Lily e Maddison procuraram o centro de adoção. Recentemente, o local promoveu uma seleção para encontrar um novo lar para as cadelas.

Anne Williams, de 52 anos, e seu marido Len, bombeiro aposentado de 53 anos, foram selecionados. Há cinco meses, a filha do casal saiu de casa e levou também o cachorro de estimação da família.

“De repente, nossa casa ficou vazia, então não tivemos dúvidas sobre adotar as cachorras”, disse os Williams em entrevista ao jornal Daily Mail desta segunda-feira (31/10).


fonte>PlanetaBicho

29/10/2011

Cão sobrevive após ser colocado em câmara de gás nos EUA

'Daniel' sobreviveu após ser colocado em câmara de gás. (Foto: Reprodução/YouTube)


Um cão que sobreviveu após ser colocado em uma câmara de gás em um abrigo de animais em Florence, no estado do Alabama (EUA), foi levado para Nova Jersey para adoção, segundo reportagem da emissora de TV "NBC New York".

O Beagle chamado "Daniel" e outros cães foram colocados na câmara de gás, pois ninguém havia se interessado em adotá-los. A prática é comum em abrigos de animais, já que muitos deles sofrem com a superlotação.
No entanto, quando um agente voltou ao local, "Daniel" ainda estava vivo. "Todos estavam mortos, exceto Daniel, que estava abanando o rabo", disse Linda Schiller, membro de um grupo que resgatou Daniel e o levou para Nova Jersey. "É um milagre", destacou ela.

Segundo o órgão de controle de animais de Florence, "Daniel" foi colocado na câmara de gás com outros cães para um ciclo programado de 17 minutos. Grasso disse que é bastante incomum que um animal sobreviva.

No entanto ele destacou que é política do abrigo que o cão ganhe uma segunda chance se isso acontecer. "Daniel" foi levado ao veterinário para se certificar de que ele estava bem. Com sua saúde estava boa, o órgão começou a procurar um lar para ele.

G1

28/10/2011

Não compre...Adote! Meu Cão Ideal - Depoimento Cecília e Sávio

Cães disputam concurso de fantasia para o Halloween nos EUA

Um concurso de fantasias caninas para o Halloween (Dia das Bruxas), que é comemorado no dia 31, foi promovido na quinta-feira (27) na cidade de Alexandria, no estado da Virgínia (EUA). A americana Linda Greenway foi vestida de enfermeira e usou a mesma fantasia em sua cadela de estimação. Outro cachorro parecia um vaso de plantas ambulante.

Cão ganhou fantasia inspirada em 'Cerberus', cão de três cabeças da mitologia grega
. (Foto: Mandel Ngan/AFP)
Cão participante do concurso parecia um vaso de plantas ambulante. (Foto: Mandel Ngan/AFP)
  
Á direita, Linda Greenway com sua cadela de estimação fantasiada de enfermeira. À esquerda, cadela ganhou fantasia de abóbora. (Foto: Mandel Ngan/AFP)
 
G1

Americana descobre doença em gato e cria campanha pró-felinos na web

Wendy Cho e seu gato, que originou o site para arrecadar doações para o resgate de felinos das ruas (Foto: Arquivo pessoal)

Por conta de um gato doente herdado em uma longa história, a americana Wendy Cho decidiu criar um site para angariar fundos e pagar o tratamento do felino, ainda em 2003. Oito anos depois, com o gato saudável, a página continua no ar e faz alerta contra a Bartonella felina, além de doar os ganhos para o resgate de gatos de rua.
 A página que Wendy criou vem ainda carregada de "conhecimentos filosóficos" e um certo contexto político. Filha de chineses, ela batizou o felino fazendo uma brincadeira com o nome do líder da Revolução Chinesa no início do século XX e filósofo marxista Mao Tse-tung (1893-1976). Tse-tung é comumente referido como "Chairman Mao" em inglês (Presidente Mao), e o gato se chama Chairman Meow (Presidente Miau).

Diferente de Mao Tse-tung, a proposta da "filosofia" de Chairman Meow é comandar uma nova revolução, a dos gatos. Entre seus ensinamentos, aparecem mandamentos cômicos, como: "Felinos do mundo, uni-vos e derrotai os agressores e todos seus cachorros que gostam de correr!"
Além disso, a dona faz e vende camisetas com uma reprodução estilizada do gato, que, com uma boina à cabeça, se assemelha bastante a outro revolucionário, o argentino Che Guevara. Os interessados em ajudar podem ainda comprar brinquedos feitos a mão para felinos. São reproduções de tradicionais comidas chinesas, como gyoza e rolinho-primavera, feitos todos de lã por ela mesma.

"Eu não ganho dinheiro com isso, é algo que faço simplesmente porque gosto", conta Wendy, que é bióloga especializada em epigenética e também artista plástica. Questionada sobre como conciliar as atividades, ela brinca. "Não acho que o Chairman Meow atrapalhe meu trabalho. É o trabalho, na verdade, que interfere e torna difícil fazer mais coisas pelos gatos", afirma.

'Herança'De volta a 2003, a história do "gato filósofo" teve início de forma peculiar. A vizinha de Wendy, uma prostituta transexual, fez um favor a um amigo que tinha Aids, e recebeu o gato enquanto o dono se submetia ao tratamento. A vizinha, no entanto, já tinha um gato, e os dois felinos não se deram bem.
Wendy se ofereceu para cuidar do bichano achando que seria no máximo por três semanas, mas ele foi ficando, ficando... E ao levá-lo ao veterinário um dia, ela descobriu que ele tinha a séria doença, que pode ser transmitida a humanos. "Foi uma grande sorte na verdade, poque se o Chairman Meow tivesse continuado com seu antigo dono, havia um grande risco de a doença ser transmitida. Pessoas com Aids têm o sistema imunológico enfraquecido" afirma ao G1.

Com pelo menos 9 anos de idade, o felino está em ótimas condições de saúde e só precisa agora de eventuais consultas de prevenção, segundo Wendy. Para ajudar a promover o site, ela também usa o talento de artista para fazer vídeos com participações do gato. No último, ele aparece acompanhando a transformação de uma lagarta em uma borboleta.
O dinheiro vai quase todo para doações. "A missão do Chairman Meow é, basicamente, promover os animais de estimação, o resgate dos animais de rua e o fato de que eles podem ser ótimas companhias", resume a americana.


O gato Chairman Meow, que, como o 'quase xará'
Mao Tse-tung, também tem preceitos filosóficos
(Foto: Reprodução)
 
 
do G1 

24/10/2011

Centenas de pessoas na Grã-Bretanha se ofereceram para abrigar uma cadela dinamarquesa cega e seu cão-guia após os animais terem sido entregues a um abrigo em julho.
Lily, de seis anos de idade, teve seus olhos removidos quando ainda era filhote e é companheira de Maddison, de sete anos, que foi adestrado para ajudá-la a se locomover.
O par foi deixado no abrigo Shrewsbury Dogs Trust quando seus donos não puderam mais cuidar dos animais.

O abrigo diz que a dupla é inseparável, mas alguns potenciais novos donos desistiram por causa da aparência da cadela ou por não ter condições de abrigar dois animais de grande porte.
Mas, desde que lançou um apelo pela adoção, o local recebeu centenas de ligações.
'Acho que o futuro parece muito bom para essa dupla', disse a cuidadora Gemma Pinchin.
'Recebemos centenas de telefonemas pelos quais somos obviamente gratos', disse ela.
Os funcionários do abrigo disseram que vão ligar de volta para todos os que ofereceram um lar para os cães.

Lily (à esq.) e seu guia Maddison (Foto: Dogs Trust)
 
 
A cadela Lily (Foto: Dogs Trust)
 
 
G1

21/10/2011

Cão vai sozinho ao veterinário

 Chulica

Parece incrível,  não é mesmo? Um cãozinho indo sozinho ao veterinário?!?!?  Mas, acredite se quiser,  isso realmente aconteceu hoje lá na Vet Center, clínica onde estou trabalhando.
Sim!!!  Isso mesmo…  Na verdade,  nem era um cãozinho.  Era Chulica, uma cachorrinha SRD, que vivia na rua, perto de um Posto de Gasolina.

Chulica estava com um tumor e o pessoal deste posto de gasolina se solidarizou com a situação e começou a cuidar da cachorrinha e levá-la até a clínica semanalmente para tratamento.  Chulica foi até a clínica veterinária, acompanhada de um dos frentistas, por 6 semanas consecutivas para receber a quimioterapia.

Esta semana seria a sétima sessão. Bem, mas acabaram atrasando um pouquinho…  E hoje, ao final da tarde, a grande surpresa:  Chulica entra rebolando pela sala de espera, abanando seu rabinho,  toda feliz da vida… e   S.O.Z.I.N.H.A.
Por alguns minutos, ficamos sem entender nada.  Saimos lá fora, procuramos pelo frentista e nada… Olhamos na rua e nada….  Detalhe:  o posto de gasolina é bem longe da clínica!

Chulica estava muito fedida, parecia que tinha rolado na carniça! rsss  E acho, que realmente fez isso em suas andanças por ai.  Peguei Chulica no colo para ver se estava tudo bem,  levei-a para beber água e em seguida, um belo banho.  Enquanto isso, o outro veterinário, o Dr. Alan telefonou no posto de gasolina e ninguém acreditava…  Eles disseram que ela tinha escapado e estavam a sua procura, mas realmente, por essa ninguém esperava >>> CHULICA, INDO SOZINHA AO VETERINÁRIO!!! 

Depois dessa, tratamento V.I.P. para a Chulica, com direito a banho quentinho de banheira, lacinho cor de rosa,  sorinho e sua última sessão de quimioterapia.   Em seguida, Chulica foi embora… com o Dr. Alan,  médico de cachorros,  e de carro,  claro…

Precisava compartilhar isso com vocês, afinal, essa surpresa merecia um post, né?
Agora, cuidado redobrado com a Chulica!  Chulicaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, nada de ficar passeando sozinha por ai! ORDENS MÉDICAS!!!  Ah, e você já está de alta!


fonte:> http://web.zooterapia.com.br
fotos: Arquivo pessoal


13/10/2011

Cadela surda aprende linguagem de sinais

Desde que veio ao mundo, há dois meses, a vida da cadelinha Alice não tem sido muito fácil. O filhote foi abandonado por seus antigos donos depois que descobriram que o animal é portador de deficiência auditiva. Felizmente, um casal também deficiente auditivo adotou a pequena e tem ensinado como se comunicar utilizando a linguagem de sinais.

De acordo com informações do jornal britânico Daily Mail a cadela da raça Springer Spaniel foi abandonada por sua criadora, na Irlanda, após ser diagnosticada com surdez. Coube aos funcionários da ONG Blue Cross resgatar Alice, sem saber exatamente como fariam para encontrar um novo lar adequado para ela.

Com menos de um mês no abrigo, no entanto, Alice encontrou os donos ideais para cuidarem dela. Marie Williams e Mark Morgan são surdos e já estavam em busca de um bichinho de estimação. Quando souberam sobre a deficiência do filhote, imediatamente souberam que a busca por um pet havia chegado ao fim. “Sabíamos que ela iria se adaptar perfeitamente à nossa família”, disse Marie à publicação.

Já de casa nova, Alice agora aprende a se comunicar por meio de linguagem de sinais. Esperta, a cadela já aprendeu comandos como “senta”, “rola” e “deita”, como explicou sua dona. “Fico muito nervosa em saber que alguém abandonou o filhote só porque em sua concepção o animal não era perfeito. Com um pouco de esforço é possível integrar mesmo um cão surdo”.
Satisfeita com o aprendizado de Alice, sua dona declarou estar orgulhosa e deseja que todos saibam o quanto a cadela melhorou. “Ela realmente é muito especial para a nossa família”.

Globo.com

10/10/2011

Cachorro faminto pula de terceiro andar e sobrevive nos EUA

Um cachorro faminto pulou de uma janela do terceiro andar em Boston, nos Estados Unidos, após ser abandonado pelos donos, e sobreviveu.
O pit bull de dois anos, batizado de Miracle, ou Milagre, estava em um apartamento vazio com outro cachorro e, segundo as equipes de proteção aos animais, pode ter passado até dois meses sem receber cuidados.

O apartamento estaria infestado de pulgas e imundo.
'O pulo foi uma última tentativa desesperada de encontrar comida', disse a gerente do abrigo de animais Forever Paws, Erin Pacheco.
Após a queda, Miracle teve de passar por uma cirurgia de emergência no quadril e está recebendo tratamento veterinário.

Filhote
No primeiro andar do mesmo prédio, as equipes de proteção aos animais encontraram ainda uma filhote de quatro meses que estava desnutrida.
Ela recebeu o nome de Gracie e acabou tendo de ser hospitalizada para se recuperar, após passar tanto tempo sem alimentos.
O administrador do prédio disse que o último inquilino do apartamento havia se mudado dois meses antes sem deixar informação de contato.
A Polícia de New Bedford está investigando o caso. Os três cachorros estão sob os cuidados do abrigo Forever Paws.

O cão Miracle (Foto: BBC)
do G1

07/10/2011

Com 15 cm de altura, gata bate recorde como menor do mundo

'Fizz Girl' tem apenas 15,24 centímetros de altura. (Foto: Reprodução)

A gata chamada "Fiz Girl", que pertence à americana Tiffani Kjeldergaard, de San Diego, no estado da Califórnia (EUA), entrou para o Guinness, livro dos recordes, como a menor do mundo. Ela tem apenas 15,24 cm de altura e muitas vezes é confundida com filhote, apesar de já ter três anos de idade. "Fiz Girl" foi reconhecida como menor gato do mundo após o antigo recordista, que media 9,5 cm de altura, ter desaparecido.

do G1

29/09/2011

Vida após a morte: livro conta sobre animais que, mesmo do outro lado, mantêm contato com a família

Alguns vínculos são tão fortes que rompem as barreiras da vida
Crédito: Dailymail.co.uk

Todos nós desenvolvemos afinidades com os nossos pets, depois de tantos anos criando, cuidando e dando carinho a estes companheiros.
Mas alguns vínculos são tão fortes que rompem as barreiras da vida, como conta o livro de Kim Sheridan, “Animals And The Afterlife”. A autora relembra histórias de famílias que foram contatadas por pets que já se foram.

Uma delas é a de Georg Stone, um homem que não acreditava em religião nem espiritualismo. Isso até ver o vulto de um cão atravessar paredes.
“Estava caminhando pela rua, quando vi um grande cachorro branco cruzar a estrada. Ele se movia com saltos, como em um filme em câmera lenta. Então, o animal atravessou a cerca e correu para o campo”, contou Stone para Sheridan.
“Vi o cão correr, atravessar a grade e desaparecer. Portanto, sim, acredito que animais têm espírito, assim como todos nós. Tudo o que tem vida, tem pós-vida.”, acrescenta ele.

Debra Tadman, uma professora de enfermagem que vive nos Estados Unidos, era dona de Wiggie, uma gata já idosa, que acabou por falecer.
“Wiggie e eu éramos muito próximas, senti como se tivesse perdido uma filha. Ela esteve presente em meu casamento, divórcio, outros relacionamentos, nas nossas três mudanças de casa e tantos outros momentos”, conta Debra.
Desolada, ela contratou Sharon Callaghan, uma especialista em comunicação com animais, que intermediaria o contato entre dona e gata. Segundo Sharon, a felina estava preocupada com a saúde da dona e as condições em que vivia no seu apartamento – que seria um “lugar tóxico”.
“Um ano depois, decidi pintar as paredes da casa”, conta Debra. “Foi aí que encontramos resíduos de amianto no telhado, que teve de ser removido. Percebemos que as paredes também haviam sido expostas ao amianto, o que afetou a estrutura da casa”, explica a moradora.
“Sou grata por Wiggie ter me alertado. Até aquele momento, não acreditava que aquilo pudesse ser verdade. Sharon nunca poderia saber de tantos detalhes”, comenta Debra sobre os relatos da especialista.

Narelle Box, a uma joalheira australiana despediu-se da sua “alma gêmea” felina, companheira de 15 anos, Browby. Triste com a perda, contratou uma conselheira espiritual para ajudá-la a superar.
“A médium não sabia que eu havia perdido Browby. Quando agendei a consulta, falei com seu marido. Ele apenas me deu uma data e um horário, sem perguntar detalhe algum”, conta. “Quando cheguei ao consultório, a primeira coisa que ela me disse foi: ‘Veja, é uma gata preta aos seus pés!’”, relembra Narelle.
“Olhei para baixo e não vi nada. Estava sem palavras, mas muito feliz de tê-la ao nosso lado mesmo depois de já ter deixado este mundo”, desabafa.

Algumas pessoas não são abertas a receberem a comunicação de animais. Somente alguns membros da família são capazes de ver quem já se foi.
Hobbes, o cão de Robert e Kathy Simmons, morreu na época em que o filho do casal estava na universidade. Quando o garoto voltou para casa, os pais deram a triste notícia. Moe, o filho, respondeu em seguida: “É impossível. Ele estava bem ali, acabei de esbarrar nele”.

Outros, apenas sentem a presença, mas não podem vê-los.
Gail De Sciose, especialista em comunicação com animais, contou a Sheridan que “muitas pessoas têm relatado sentir a presença física de animais que já passaram para o outro lado”.
“Uma mulher me contou que ainda sentia seu gato sentando em seu colo, mesmo depois do felino já ter falecido”, diz De Sciose.
Barbara Meyers, uma terapeuta de luto e expert em comportamento animal, contou a Sheridan sua história preferida sobre o espírito de um pet continuava segundo sua rotina em vida.
“Durante anos, fiz tratamento com um quiropraxista. Naquela época, uma cadela membro da minha família, uma poodle toy branca chamada Skila, nos acompanhava em todo lugar”, conta.

“Sempre que íamos à consulta, Skila corria pela sala e depois pulava nos braços do homem. Ele sabia quando ela estava chegando, pois ouvia seus passos na sala ao lado. Seis meses depois da morte de Skila, voltei ao local e ele contou que ouvira o som de Skila correndo e vira a cadela brincando na sala ao lado”, relata Barbara.
“Aquilo não era um sentimento nem nada parecido. É o que se pode chamar de visita sólida. Ele ficou perplexo e quase teve um colapso. Eu, que sempre acreditei que este tipo de coisa fosse fruto da imaginação de alguém em luto, tive minha visão da vida completamente modificada a partir daquele dia”, finaliza.
O livro “Animals And The Afterlife”, de Kim Sheridan está à venda nas livrarias brasileiras, mas somente na versão em inglês, e custa cerca de R$ 45,00.

fonte>PetMag

Macaco raro dá luz a filhote de cor laranja

No dia 1º de setembro, os funcionários do zoológico de Londres, na Inglaterra, ficaram surpresos quando Lu Lu, uma macaca de raça rara, deu luz a um filhote de cor atípica. Apelidado de Tango, o macaquinho nasceu com uma pelagem de cor laranja.
Kathryn Sanders, membro da equipe do zoo, explicou ao jornal Daily Mail que o animal não ficará para sempre com esta cor. “Os pêlos dele devem começar a escurecer após seu terceiro mês de vida”, disse.
Enquanto isso, Tango segue como uma das grandes atrações do parque.

Planeta Bicho
Juliana Bacci
Foto: Reprodução Daily Mail

25/09/2011

Ativistas comemoram fim das touradas na Catalunha

As touradas foram definitivamente proibidas neste domingo (25) na Catalunha, na Espanha, após um último evento que acontece nesta tarde, acompanhado por milhares de fãs da atividade em Barcelona. A prática esportiva foi banida após petição assinada por 180 mil pessoas.
Ativistas da organização Anima Naturalis comemoraram com brindes a última das "corridas" na região espanhola em frente à arena em Barcelona.

Ativistas brindam o fim das touradas na região da Catalunha, na Espanha. (Foto: Albert Gea / Reuters)

22/09/2011

Mulher vive com 700 gatos em santuário de bichos na Califórnia

Uma mulher que vive na Califórnia, nos Estados Unidos, resolveu criar um santuário para cuidar e abrigar gatos e convive com 700 deles em seu terreno. A Cat House surgiu há 30 anos, quando Lynea Lattanzio se divorciou. Sua mãe não a deixava ter gatos quando era pequena. As informações são do Daily Mail.
Sua propriedade de 12 acres (um pouco mais de 48.500 m²), em Parlier, na Califórnia, já recebeu 19.000 gatos desde 1981. A casa também oferece serviços de castração e adoção.
Lynea gasta US$ 5.729,31 por dia para manter a estrutura, baseada em doações e voluntários que também cuidam dos felinos.

“Nós somos um santuário de adoção, que não enjaula nem mata. Eu não sou louca, mas o que eu faço é louco. Eu prefiro dizer que sou excêntrica ou masoquista. É a mesma coisa, só que mais leve”, diz a criadora.

Se não bastassem as centenas de gatos, Lynea também cuida de 15 cachorros e faz uma campanha on-line para promover o santuário e atrair ainda mais bichos.

G1
Foto Reprodução

12/09/2011

Dog balancing treats

Gatos usados em pesquisa contra Aids felina brilham à luz ultravioleta

Um dos gatos com material genético extraído de
águas-vivas e macacos. (Foto: Mayo Clinic)

Gatos usados por cientistas norte-americanos tiveram suas células alteradas para poder brilhar e, de quebra, resistir à versão do vírus da Aids responsável pela doença em felinos. O estudo foi publicado na revista científica 'Nature Methods'.
O efeito luminoso é causado pelo presença de uma proteína extraída de águas-vivas e acontece quando os felinos são expostos à luz ultravioleta. Já a proteção contra o FIV - a versão felina do HIV - é garantida pelo inclusão de um gene de macaco dentro do material genético dos gatos.

Conhecido como TRIMcyp, o gene do macaco faz a proteção externa do vírus ser destruída antes que ele consiga infectar as células dos felinos. Para colocar o material no corpo dos gatos, os cientistas alteram óvulos não fecundados. Neste momento, foram incluídos também os genes 'fluorescentes' de águas-vivas para que alterações dentro dos gatos pudessem ser rastreadas.

Os cientistas da Mayo Clinic, instituto responsável por desenvolver a pesquisa, afirmaram que os filhotes gerados pelos gatos geneticamente alterados também apresentaram os genes. A esperança dos pesquisadores é de que a herança genética continue a ser transmitida pelas próximas gerações desses mamíferos. A tecnologia também pode servir, no futuro, para a criação de novas estratégias para preservar as 36 espécies ameaçadas de gatos selvagens no mundo.

A Aids já matou 30 milhões de pessoas no mundo e ainda não há uma vacina ou cura disponivel para combater a doença que seja reconhecida pela comunidade científica e adotada na prática médica. A versão felina também já deixou milhões de gatos mortos.

G1

07/09/2011

Câmara proíbe rodeios em Araraquara (SP)

Rodeios, touradas, vaquejadas ou qualquer outro tipo de atividade em que os animais sejam expostos a violência agora estão proibidos por lei em Araraquara.
Anteontem, a Câmara aprovou um projeto de lei sobre a proibição, de autoria da prefeitura.


De acordo com o prefeito Marcelo Barbieri (PMDB), a lei deverá ser sancionada ainda nesta semana.
Em março do ano passado, o prefeito vetou um projeto de lei semelhante, mas acabou impondo regras rígidas para a realização dos rodeios no município. Dentre as regras, o peemedebista proibiu que os apetrechos usados nas montarias causassem ferimentos nos animais.

"Na época, o veto foi dado porque não tínhamos feito uma consulta à população", disse. O assunto voltou à tona, segundo ele, depois que uma comitiva procurou a Câmara para a realização de uma festa de rodeio.

Vários debates foram feitos ao longo do ano entre a prefeitura, entidades de proteção aos animais, veterinários e até comitivas que realizam rodeios pelo país.
"Decidimos apresentar o projeto de lei para evitar novas tentativas de investimentos futuros de comitivas na cidade", afirmou.

O vereador João Farias (PRB) apresentou emenda ao projeto de lei, em que há a ressalva para atividades em que os animais não são expostos a sofrimentos, como leilões, cavalgadas e hipismo.
"É preciso que se faça uma revisão nos esportes onde há maus-tratos em animais. O que ocorreu em Barretos, por exemplo, foi lamentável e inaceitável", disse ele, referindo-se à morte de um bezerro depois de uma prova de imobilização e à paralisação das duas patas traseiras de um touro, durante a última edição da Festa do Peão, que aconteceu no mês passado.

A organização do evento de Barretos negou maus-tratos, mas os fatos contribuíram para ONGs ampliarem a disputa contra os rodeios.

Folha.com

06/09/2011

Após chegar a São Paulo, leão passará por bateria de exames

O leão Simba, que vivia num zoológico desativado em Ivinhema (MS), a 297 km de Campo Grande, foi rebatizado de Antuak - que significa "energia da transformação" - e já está em seu novo lar, em Cotia, na Grande São Paulo, onde passará por uma bateria de exames.
Cravada no meio da mata de um sítio a cerca de 40 km do Centro de São Paulo, a Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos tem 25 mil m² de área onde Antuak irá conviver com outros 14 grandes felinos: um tigre, uma onça e mais 11 leões.

O animal está numa jaula separada, em quarentena, até que passe por uma bateria de exames. "Ele está em adaptação porque, por pior que fosse o antigo lugar em que morava, tirá-lo de lá é uma mudança grande", diz a veterinária Kelli Spitaletti, que cuida do animal. Ela é uma dos 12 funcionários do Rancho dos Gnomos, que tem mais de 300 animais - entre araras, papagaios, jabutis, emas e porcos. São mais de cem cachorros e 40 gatos.

Antuak nasceu em um circo. Por volta dos 2 anos, foi entregue ao zoológico de Ivinhema (MS), fechado pela prefeitura local por falta de condições de cuidar dos animais. Lá permaneceu por mais ou menos dez anos. A partir dessas contas, os técnicos do Rancho dos Gnomos calculam a idade do animal: cerca de 12 anos.

A suspeita é que Antuak tenha algum problema na coluna. Ele não quis descer sozinho da jaula móvel que o trouxe para São Paulo e caminha com dificuldade com as patas traseiras. Em cerca de 30 dias, deve fazer uma radiografia para determinar as causas dessa dificuldade de locomoção. Antes disso, ele ainda não tem condições de passar por uma anestesia. É preciso esperar que a imunidade do leão aumente.

Mantras e florais
A veterinária Kelli diz que todos os animais que chegam ao Rancho dos Gnomos sofreram algum tipo de maus-tratos. Para mudarem completamente de vida, segundo ela, ganham um novo nome. "Quando fomos buscá-lo, ele não queria entrar [na jaula]. Então fizemos um exercício grande com o Mantra de Antuak e ele entrou", diz, explicando o novo nome do animal.

O Rancho do Gnomos é uma ONG mística que cuida dos animais. "A gente tem uma proteção muito grande do Plano Sutil. A gente consegue tratar os leões, em alguns procedimentos, sem anestesia", acrescenta a médica, que, como todos do corpo técnico do Rancho dos Gnomos, é vegana - não come nenhum alimento de origem animal.

Enquanto a reportagem do G1 conversava com a veterinária e tirava fotos do leão, um técnico chegou com o almoço e a "medicação": dois frangos inteiros e uma dose de florais, "para melhorar o ânimo" de Antuak, segundo Kelli. Em menos de cinco minutos, nada sobrou da comida. A água com o floral ele deixou para mais tarde.

Manutenção dos animaisPara cuidar de todos os animais no Rancho dos Gnomos, a ONG conta com a ajuda de associados, que pagam uma mensalidade a partir de R$ 15, o trabalho voluntário de alguns técnicos e patrocínios de empresas, geralmente de produtos veterinários.

Há seis anos a cidade de Ivinhema (MS) solicitava ao Rancho dos Gnomos que recebesse Antuak - à época, Simba. Sem condições de bancar o traslado, a ONG não foi buscá-lo. Até que uma campanha na internet, iniciada por moradores da cidade sul-matogrossense, conseguiu o patrocínio de uma empresa aérea e uma seguradora, e possibilitou a viagem do animal. O Rancho dos Gnomos existe há quase 20 anos em Cotia (SP).

G1
foto: Raphael Prado/G1

Cão bate recorde com as orelhas mais longas do mundo

O cão chamado "Harbor", de oito anos de idade, que pertence à americana Jennifer Wert, da cidade de Boulder, no estado do Colorado (EUA), entrou para o Guinness, livro dos recordes, com as orelhas caninas mais longas do mundo. A orelha esquerda de "Harbor" mede 31,11 centímetros, enquanto a direita tem 34,29 centímetros.

G1

26/08/2011

Leão Simba ganha casa nova em São Paulo e R$ 24 mil para viver

Simba perdeu companheira em 2010; ele vive sozinho e com sinais de depressão em zoológico desativado do MS

A Prefeitura de Ivinhema (MS) destinou R$ 24 mil ao Rancho dos Gnomos, em Cotia (Grande São Paulo), para a manutenção do leão Simba no santuário ecológico paulista.
O animal está em um zoológico desativado há cinco anos em Ivinhema. Ele deveria ter sido transferido desde aquela época, mas nenhum local havia aceitado receber o felino.

Simba era um dos quase cem leões no país que aguardavam um novo lar. Agora a previsão é que ele seja levado para o rancho de Cotia no próximo dia 2.
A associação aceitou Simba sob a condição de também receber recursos para sua manutenção, calculada em R$ 1.000 mensais. A verba, suficiente para dois anos, foi depositada nesta semana na conta da entidade.

Simba nasceu num circo que estava de passagem por Ivinhema e foi deixado no zoológico há 12 anos. Durante 11 anos, teve a companhia da leoa Tila, morta em 2010. Eles chegaram a ter filhotes que morreram ainda pequenos.

O felino ficou famoso na internet depois que foi criada uma comunidade no Facebook para ajudá-lo. Os administradores do grupo entraram em contato com o rancho de Cotia e levantaram o dinheiro necessário para o transporte do animal.
O tratador José Valentim Fontoura cuida de Simba há dez anos e já está se preparando para a despedida. "Fazer o quê, não é? Dizem que é o melhor para ele, estou tentando me acostumar, mas vou sentir muitas saudades."

fonte: Folha

25/08/2011

Filhote de leopardo de 2 meses chama atenção fazendo pose quase humana

A filhote de leopardo-nebuloso 'Sumalee', nascida em 14 de junho em um zoológico no estado americano de Washington, chamou atenção em fotos feitas nos últimos dias. Ele conseguiu se apoiar sobre as duas patas traseiras e abrir as patas dianteiras, em uma pose quase humana. O Zoológico e Aquário de Point Defiance fica próximo à cidade de Tacoma, e é um dos três únicos do país que reproduzem essa espécie de felino, ameaçado de extinção. (Foto: Seth Bynum/Point Defiance Zoo & Aquarium)

G1

Com auxílio de Tripoli, entidade que promove defesa animal manterá atividades

Com auxílio de Tripoli, entidade que promove defesa animal manterá atividades


Comunicado Oficial - Cão Sem Dono - 24.08.2011 - vídeo.wmv

Cadela amamenta porquinhos em cidade cubana

A cadela 'Yeti' virou atração na cidade de Camaguey, em Cuba, por amamentar filhotes de porco.

G1

10/08/2011

Ministério Público quer impedir rodeios em duas cidades no interior de SP

SÃO PAULO - O Ministério Público ajuizou nesta quarta-feira, 10, duas ações civis públicas para impedir a realização de rodeios em áreas urbanas nos municípios de Santo Antonio do Jardim e Espírito Santo do Pinhal, no interior do de São Paulo.
As ações fundamentam que diversos laudos e estudos técnico-científicos demonstraram que o uso de certos acessórios como esporas em provas de montaria provocam danos nos animais, além de dor e sofrimento.

Os promotores alegam que ficou comprovado, pelos mesmos estudos, que várias provas realizadas nos rodeios impõem crueldade contra os animais com destaque para a modalidade "calf roping", em que bezerros com 40 dias de vida são lançados e tracionados no sentido contrário ao que correm, e na sequência são erguidos pelos peões e atirados violentamente ao solo com três patas amarradas por meio de movimentos bruscos, causando sérias lesões em suas colunas e até a morte dos animais.

Os organizadores dos eventos sustentariam a prática dos rodeios como manifestação cultural brasileira, mas segundo a ação diversas modalidades realizadas são importadas da cultura norte-americana, incluindo os nomes das provas. A Promotoria de Justiça contesta ainda o argumento de que os rodeios representariam importante movimentação para a atividade econômica das cidades pois, segundo os dados oficiais, os shows musicais seriam o maior captador do grande público para as festas.

As ações não contemplam provas de hipismo, leilões, exposições, demonstrações de adestramento, e provas de três tambores e team penning, por não terem sido colhidos indícios de que sejam danosas.
Na tarde desta quarta-feira, o juiz Márcio Estevan Fernandes, da 2ª Vara Cível de Espírito Santo do Pinhal, concedeu liminar proibindo a realização de provas de rodeio naquele município, tanto na área urbana quanto na zona rural, sob pena de multa diária de 100 salários mínimos. O pedido de liminar quanto a Santo Antonio do Jardim ainda não foi apreciado.

fonte: Estadão

02/08/2011

Ministério Público de SP cria grupo para investigar tortura de animais

Procuradores criminais do estado de São Paulo poderão integrar a partir de agora um grupo especializado em apurar denúncias de maus-tratos contra cães, gatos, pássaros e outros animais domésticos. A determinação está no ato normativo 704, que cria o Grupo Especial de Combate aos Crimes Ambientais e de Parcelamento Irregular do Solo Urbano (Gecap). O ato foi assinado na semana passada pelo procurador-geral de Justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira.
Os promotores vão atuar apoiados em leis como a 9.605/98, que trata de abuso, maus-tratos, ferimento ou mutilação de animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A criação do Gecap permitirá ao Ministério Público atuar em representações, inquéritos policiais, procedimentos investigatórios criminais e em termos circunstanciados, assim como também nos processos criminais que envolvam a prática de crimes de parcelamento e ocupação irregular do solo urbano (Lei nº 6.766/79).

Autor da proposta, o promotor de Justiça e deputado estadual Fernando Capez afirma que a criação do Gecap é o primeiro passo na direção da criação de uma promotoria de defesa animal. "Esse grupo vai receber denúncias, representações e vai poder investigar. Nossa expectativa é de que em pouco tempo o volume de trabalho ligado à área animal acarrete a criação da promotoria", disse Capez. Segundo o parlamentar, existe demanda reprimida por esse tipo de atuação do Ministério Público em São Paulo.
Segundo Capez, o grupo deverá ter de três a cinco promotores criminais, que terão de elaborar relatórios mensais e trimestrais de atuação. O deputado afirmou que eles terão poder de investigação.

E deu um exemplo de como a promotoria pode ser útil nesse caso.
"Chegou ao meu conhecimento, há 20 dias atrás: um cara colocou no site na sexta-feira que no domingo ele iria esquartejar o gato dele e colocar o filme na internet. Ele fez um torneio: esquartejo ou não esquertejo. Estava vencendo que ele devia matar o gato. Fiquei sem ação. A quem se pode recorrer? Eu fui diretamente ao Deic, delegacia de crimes cibertnéticos, e consegui que eles localizassem o sujeito", afirmou.

G1

28/07/2011

Gatinha sobrevive a ciclo de 1 h em lava-roupas

A gatinha Princess (Foto: BBC)

Uma gatinha sobreviveu a um ciclo de uma hora dentro de uma máquina de lavar junto com a roupa suja.
Princess, uma gatinha de oito semanas que vive com a dona, Susan Gordon, na Escócia, foi levada para a emergência veterinária já à beira da morte, mas conseguiu escapar.
'Coloquei a roupas na máquina, pus o sabão, fechei a porta e liguei a máquina. Depois, dei as costas e fui assistir televisão', disse Susan.

Uma hora mais tarde, quando o marido abriu a porta do eletrodoméstico para recolher a roupa limpa, encontrou o animalzinho desorientado e frágil.
'A pobrezinha estava tremendo muito. Peguei uma toalha e a enrolei', disse Susan. 'Fiquei com ela perto de mim. Ela estava se tremento muito, em estado de choque.'

Princess foi levada para o veterinário com hematomas, sangramento no nariz e olhos irritados pelo sabão. Ela ficou sob tratamento durante três dias.
Tratada, aquecida e recuperada, a gatinha está de volta à casa e goza de boa saúde.
'Agora eu sempre checo a máquina antes de colocar a roupa', disse a dona.


da BBC

Coreia do Sul anuncia ter criado cão modificado geneticamente que brilha

A cadela Tagon e seus filhotes (Foto: Reuters)

Cientistas da Coreia do Sul afirmaram na quarta-feira (27) que criaram um cão que brilha, usando uma técnica de clonagem que pode ajudar a curar doenças em humanos, como os males de Alzheimer e Parkinson. A informação é da agência Yonhap.

Uma equipe da Universidade Nacional de Seul disse que a beagle fêmea, batizada de Tegon e nascida em 2009, fica com um brilho verde fluorescente sob luz ultravioleta, quando toma um certo tipo de antibiótico, a doxiciclina

Dois anos de testes foram feitos. A habilidade de brilhar pode ser "ligada e desligada", adicionando-se ou não a droga à comida da cadela.
"A criação de Tegon abre novos horizontes, uma vez que o gene injetado para fazer a cadela brilhar pode ser substituído por genes que causam doenças graves em humanos", disse Lee Byeong-chun, o pesquisador-chefe, segundo a agência.

Ele disse que o cão foi criado usando tecnologia de tranferência de material nuclear de células que a universidade usou para fazer o primeiro cão clonado do mundo, Snuppy, em 2005
Segundo ele, como há 268 doenças em comum entre humanos e cãos, criar cães que mostram esses sintomas artificialmente pode ajudar a criar tratamentos para doenças que afligem os humanos.
A pesquisa tomou quatro anos e gastou US$ 3 milhões, segundo a Yonhap. Os resultados saíram na publicação internacional 'Genesis'.

Patinha de Tagon 'brilha' quando submetida a luz ultravioleta (Foto: Reuters)
 
Via Reuters

27/07/2011

Leão tetraplégico Ariel morre em SP



O leão tetraplégico Ariel, de 3 anos, que mobilizou uma corrente de solidariedade na internet, morreu na tarde desta quarta-feira (27). Ele sofria de uma doença degenerativa autoimune que não foi identificada e passava por acompanhamento médico em São Paulo.

Segundo Raquel Ferreira Borges da Silva, sua proprietária, "foi feito tudo por ele". Chorando, ela diz que "ele nunca mais vai sofrer". "Fará muita falta, mas vai viver sempre em nossos corações."
O felino também sofreu uma crise convulsiva nesta terça e apresentou acumulo de líquido ao redor do pulmão.

A plasmaférese, método terapêutico que permite separar elementos do sangue, como o plasma, que contém os anticorpos produzidos pelas doenças autoimunes, começou a ser ministrada por veterinários na semana passada. O material era proveniente de doações de sangue de leões do Parque Ecológico da Americana e do Zoológico de Piracicaba, ambos no interior de São Paulo.

Desde a semana passada, o leão foi submetido a três sessões, o que o desgastou.
Agora, o corpo do animal será levado para a Universidade de São Paulo (USP), onde passará por necrópsia. Depois, será levado para Maringá (PR), para ser enterrado. Ainda não há data para que isso aconteça.

 
Leão fez tratamento e passou mal na terça; ele morreu nesta quarta-feira (Foto: Caroline Hasselmann/G1)

G1

26/07/2011

Cadela que foi enterrada viva em Blumenau (SC) se recupera




Está se recuperando a cadela que foi enterrada viva, segunda-feira, em Blumenau (SC). O animal foi enterrado por uma senhora de 68 anos. Ela teria se sentido incomodada com a cadela.
A cadela foi enterrada segunda-feira (25) pela manhã. Ela foi resgatada por policiais militares depois de ficar cerca de 10 horas debaixo da terra. O animal estava fraco e com hipotermia.

A cadela foi levada para receber atendimento veterinário. Depois de recuperada, ela ficará sob os cuidados da Associação de Proteção aos Animais de Blumenau (Aprablu).
Casos de maus-tratos aos animais podem ser denunciados para a Polícia Militar, através do telefone 190.

 Foto:Divulgação
fonte: ANDA

Manutenção de leão solitário de zoo de MS irá custar R$ 27 mil, diz ativista

Deve custar pelo menos R$ 27 mil a mudança e a manutenção do leão Simba, que vive solitário em um zoológico de Ivinhema, cidade a 297 quilômetros de Campo Grande, para o Recanto dos Gnomos, uma organização não governamental (ONG) que abriga animais vítimas de violência e abandono, em Cotia, São Paulo.
O cálculo foi feito pela psicóloga Fátima Nogueira, ativista ambiental e criadora de uma comunidade da internet formada por mais de mil seguidores, que se mobilizou pela história do animal. Segundo Fátima, somente o aluguel do caminhão, que transportará a jaula do felino de Mato Grosso do Sul para São Paulo, custará R$ 3 mil.

“Do valor total, R$ 24 mil serão destinados para a manutenção pelo período de dois anos no recanto. Sozinha, a ONG não tem condições de bancar a manutenção do animal, que vai custar aproximadamente R$ 1 mil por mês, entre despesas com tratador, água, energia elétrica, medicamentos, veterinário e até com a castração do felino”, explica.

A ativista diz que no cálculo ainda não estão computados as despesas com a viagem, estadia e alimentação da equipe multidisciplinar que vai preparar o animal para a viagem e depois acompanhá-lo no translado
Conforme Fátima, a viagem do solitário leão ainda não tem data prevista, já que depende dos recursos financeiros, mas para acelerar o processo foi iniciada uma campanha de arrecadação nas redes sociais.

Planejamento
A ativista diz que enquanto os recursos não são obtidos já foi iniciado o planejamento da viagem do leão para o seu novo lar. Ela explica que uma equipe de sete pessoas viajará de São Paulo para Mato Grosso do Sul para acompanhar Simba na jornada. Dois grupos vão viajar com o felino no caminhão e o restante vai voltar para Cotia para preparar a recepção ao animal.

Doações
Sobre as doações, Fátima comenta que um grande número de pessoas já está colaborando com a campanha. “Recebemos a doação de um quadro, de uma bolsa de marca e um netbook, que iremos rifar. E tudo é controlado e transparente. Tudo é postado na nossa página”, comenta a ativista. “Além dessas doações, nós estamos lutando para conseguirmos patrocínios também, mas tudo ainda incerto”, completa.

G1 MS
foto: Divulgação/Ivinoticias

20/07/2011

Andorinha alimenta filhote em pleno voo na Alemanha

Uma andorinha foi flagrada na terça-feira (19) alimentando um filhote enquanto estava em pleno voo em um lago em Seehof, nordeste da Alemanha. A cena foi registrada pelo fotógrafo Jens Buettner.
  Foto: Jens Buettner/AFP

G1

a funny doggie is on a bike

16/07/2011

Donos de animais pagam para imunizar bichos contra raiva em SP

Os donos de gatos e cachorros estão preferindo pagar a vacina contra raiva para deixar os bichos imunizados. Isso porque a campanha de vacinação contra a doença, que deveria começar em agosto, ainda está indefinida em todo o estado de São Paulo. As cidades estão esperando as doses que são distribuídas pelo Ministério da Saúde, mas a entrega está atrasada porque o Governo Federal trocou o laboratório fornecedor.

No ano passado, mais de 200 animais morreram depois de tomar a dose. A estudante Camila Bibiano resolveu procurar uma clínica particular para vacinar seu cachorro neste ano por causa da demora. “Já comecei a vacinar ele em um hospital particular.”

O operador de câmera Vitor Ferrari Lombardi também se adiantou e vacinou seu animal. “Já vacinei meu cachorro. Falta um só porque é muito bebê. Então, daqui a 10 dias falta a última vacina que ele tem que tomar.”
Serão distribuídas para a rede pública de todo o país 10 milhões de doses importadas. É a mesma vacina aplicada nas clínicas e hospitais particulares. Em setembro, mais 35 milhões de doses vão ser compradas de um laboratório brasileiro. Até lá, o Ministério da Saúde garante que tem estoque para situações de emergência.

“No momento, nós temos vacina. Mais de 1,5 milhão de doses em estoque. É o chamado 'estoque estratégico' do Ministério da Saúde, que serve para qualquer estado do Brasil. Ou seja, se for identificado em qualquer município do estado de São Paulo que há a possibilidade de circular o vírus da raiva canina, imediatamente, essa vacina é distribuída e é feita essa vacinação de bloqueio”, explica o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa.

Com o atraso da campanha, quem tem gatos e cachorros deve ficar atento. “A vacinação é anual. O ideal é trazer antes. Mesmo porque, em época de férias, as pessoas que querem viajar com animalzinho não podem viajar sem estar com a vacina atualizada”, fala o veterinário Mario Marcondes.
A raiva é uma doença que pode ser transmitida para o homem. O estado de São Paulo não registra casos de raiva em humanos há nove anos.

G1